sábado, 21 de junho de 2014

Opinião: "A morte de Lorde Edgware"

www.wook.pt/ficha/a-morte-de-lorde-edgware/a/id/40866?a_aid=4e767b1d5a5e5&a_bid=b425fcc9
Título original: Lord Edgware Dies
Autor: Agatha Christie
Série: Hercule Poirot #9
Tradutor: Tânia Ganho
Colecção: Obras de Agatha Christie nº3
Editor: Edições Asa
Edição/reimpressão: Abril de 2008
ISBN: 9789724126548
Páginas: 240

Sinopse: Poirot estava presente quando Jane Wilkinson manifestou o desejo de se livrar do marido, o aristocrata Lorde Edgware, e terminar um casamento há muito fracassado. Foi também na presença de Poirot, que o próprio confirmou o desejo de conceder o divórcio a Jane. Tudo isto não passaria de um episódio meramente passional se não envolvesse um homicídio. Agora que o corpo de Edgware é encontrado sem vida na sua própria biblioteca, todos os olhares recaem sobre a viúva e a Scotland Yard não vai descansar enquanto não resolver a questão.
Mas, para Poirot, os factos não são assim tão fáceis de explicar e, por uma só vez, o detective belga sente-se ludibriado. Afinal, como poderia Jane ter assassinado Lorde Edgware e, ao mesmo tempo, jantar com amigos? E qual poderia ser o seu motivo, já que o aristocrata concordara finalmente com o divórcio?


A minha opinião: Quando eu penso que Agatha Christie já não me vai conseguir surpreender, eis que ela me prova como estava enganada...

A história tem início na noite em que Poirot e Hastings assistem ao espectáculo de Carlotta Adams, uma actriz talentosa e popular, e que termina com uma série de imitações, inclusive a da actriz Jane Wilkinson que, curiosamente, se encontra também nessa noite a assistir ao espectáculo. De facto, Jane fica tão impressionada com o espectáculo que convida Carlotta e também Poirot e Hastings para a sua suite onde se junta um curioso grupo de pessoas.

E aí tem uma conversa em privado com Carlotta (que não presenciamos) e pede a Poirot que a ajude a conseguir o divórcio. Isto porque Jane é, na verdade, Lady Edgware, mas quer desesperadamente divorciar-se para poder casar novamente, desta vez com um duque...

Embora relutante de início, Poirot acaba por aceitar o pedido de Jane e ao visitar Lorde Edgware, fica a saber que este está de acordo em conceder o divórcio à mulher. No dia seguinte, Lorde Edgware está morto e a principal suspeita é a sua mulher... Há testemunhas que a viram nessa noite em casa de Lorde Edgware e a reunir-se com ele, mas esta tem um álibi. Nessa noite esteve presente num jantar e tem várias testemunhas. Imediatamente a suspeita recai sobre Carlotta, mas antes que Poirot consiga falar com ela, também ela aparece morta...

Este não é um caso fácil de deslindar, nem mesmo para Poirot, já que a principal suspeita tem um álibi e a outra suspeita, para além de morta (e portanto sem forma de apresentar uma explicação), parece não ter qualquer motivo... E que motivo poderia ter Jane, já que o marido havia aceitado o divórcio? Mas pessoas com motivo para querer matar Lorde Edgware é coisa que não falta, contudo a identificação de Jane como a assassina parece apontar para que apenas ela (ou alguém fazendo-se passar por ela) tenha tido oportunidade... Felizmente que Poirot e as suas célulazinhas cinzentas não brincam em serviço e acaba por desvendar todo o caso. E confesso que não estava nada à espera daquela explicação...

Mais um excelente mistério da rainha do policial. Um dos meus favoritos!

Classificação: 5

-------------------------------------------------------------------

Este livro conta para os Desafios Vintage Mystery BINGO 2014 (Man in the Title), Cruisin' thru the Cozies 2014, TBR Pile 2014, Mount TBR 2014, Monthly Key Challenge 2014 (death) e Monthly Motif Challenge 2014 (Mystery, Murder, & Mayhem).

Sem comentários:

Publicar um comentário