segunda-feira, 16 de julho de 2018

Opinião: "Força do Desejo"

Título original: Nothing Denied
Autor: Jess Michaels
Série: Albright Sisters #3
Tradutor: Maria Emília Ferros Moura
Editor: Quinta Essência
Edição/reimpressão: Março de 2012
ISBN: 9789898228802
Páginas: 228


Sinopse: Ao começar a sétima temporada fracassada, Beatrice Albright começa a perceber que a sua beleza não pode compensar a sua astúcia e modos desabridos. Mulher desesperada que ninguém quer, tem de procurar um homem com quem ninguém queira casar: o desprezado e misterioso marquês de Highcroft, Gareth Berenger. Consta que ele é um assassino, mas Beatrice tem muito mais medo da vida de solteirona - e da companhia da mãe - do que da má reputação de Berenger. Mas Gareth, embora intrigado com a proposta da interessante jovem, tem ele próprio uma proposta a fazer-lhe. Sendo um homem de gostos particulares, não casará com nenhuma mulher que não esteja disposta a satisfazê-los. A noiva tem de ser aventureira, não ter medo de nada e estar ansiosa por experimentar qualquer paixão e prazer que ele congemine, por muito chocantes e tabu. Se Beatrice concordar com um período experimental - se conseguir voluntariamente libertar-se das suas inibições - no fim casará com ele. E assim os dados estão lançados - enquanto Beatrice e Gareth embarcam numa viagem erótica onde o perigo os espera a cada esquina, a caminho de um mundo de delicioso êxtase onde nada é proibido… nada é negado.



A minha opinião: Depois das suas irmãs terem encontrado o amor, a felicidade e o prazer nos livros anteriores, Beatrice descobre que elas desistiram dela e planeiam levar a irmã mais nova, Winifred, para junto delas e para longe da mãe, aumentando assim, exponencialmente, as hipóteses dela de encontrar um bom partido. Beatrice encontra-se na sua sétima temporada e apercebe-se de que, se não tomar as rédeas do seu destino nas suas mãos, o seu futuro será passar os resto dos seus dias na companhia da mãe. E nada poderá ser pior do que isso...

Rapidamente percebe que a sua única hipótese será casar com alguém com quem ninguém mais queira casar. Esse alguém é Gareth Berenger, marquês de Highcroft. Consta que ele matou a sua primeira mulher, mas um assassino continua a ser preferível à sua mãe...

Gareth pode não ter matado a mulher, mas isso não significa que não se culpe pela morte dela. E é por isso que decidiu que nunca mais voltaria a casar. Contudo, agora que a sua avó morreu e deixou como a sua última vontade que o neto voltasse a casar, Gareth sabe que terá de cumprir o seu desejo...

Quando Beatrice o aborda com uma proposta de casamento, ele faz-lhe uma contraproposta: se ela concordar com um período experimental em que se submeta a tudo o que ele lhe peça, e se no final ainda o quiser, casará com ela.

Gareth acredita que Beatrice acabará por achar um dos seus pedidos demasiado e desistirá do acordo, mas a verdade é que ele parece despertar nela um desejo e uma paixão que nem ela sabia existir. E, apesar dos seus gostos sado-masoquistas, ele é terno e faz sempre do prazer dela uma prioridade.

Tal como os livros anteriores da série, Força do Desejo começa com uma relação exclusivamente carnal entre os protagonistas que, lentamente, se transforma em amor. As cenas são escaldantes e muito bem escritas e é cativante acompanhar o percurso dos personagens. Julgo que a autora nunca chegou a escrever a história da Winifred, mas espero que ainda o venha a fazer.



Classificação: 4

domingo, 15 de julho de 2018

Opinião: "Viver Sem Ti"

Título original: After You
Autor: Jojo Moyes
Série: Me Before You #2
Tradutor: Ana Maria Chaves e Márcia Montenegro 
Editor: Porto Editora
Edição/reimpressão: Setembro de 2016
ISBN: 9789720048851
Páginas: 408


Sinopse: Como seguir em frente depois de se perder a pessoa amada? 
Como construir uma vida que valha a pena ser vivida?

Louisa Clark já não é uma jovem banal a viver uma vida banal. O tempo que passou com Will Traynor transformou-a, sendo agora uma pessoa diferente que tem de enfrentar a vida sem ele. Quando um insólito acidente obriga Lou a regressar a casa dos pais, é impossível não sentir que está de volta ao ponto de partida.
Lou sabe que precisa de um empurrão que a traga de novo à vida. E é assim que acaba por ir parar ao grupo de apoio Seguir em Frente, cujos membros partilham sentimentos, alegrias, frustrações e bolos intragáveis. Serão também eles que a levarão até Sam Fielding - um paramédico que trabalha entre a vida e a morte, e o único homem que talvez seja capaz de a compreender. Mas eis que uma personagem do passado de Will surge de repente e lhe altera todos os planos, lançando-a num futuro muito diferente…. Para Lou Clark, a vida depois de Will Traynor significa reaprender a apaixonar-se, com todos os riscos que isso implica.

Em Viver Sem Ti, Jojo Moyes traz-nos duas famílias, tão reais como a nossa, cujas alegrias e tristezas nos tocarão profundamente ao longo de uma história feita de surpresas.


A minha opinião: (Contém spoilers para o livro anterior) Como fiz para o livro anterior vou começar por despachar os problemas que tenho com a edição portuguesa:
  • a tradução do título. Depois de terem feito asneira com o título do livro anterior (traduziram Me Before You por Viver Depois de Ti) conseguiram safar-se bem com a tradução deste. Mas a verdade é que ambos significam precisamente o mesmo e não era suposto...
  • a capa. É bem melhor que a anterior, mas ainda assim é tão genérica...
Agora que já desabafei, Viver Sem Ti é tão bom! Começa um ano e meio depois da morte de Will. Depois de ter tentado seguir o pedido de Will e viver a vida intensamente, Lou acabou por regressar a Inglaterra e, depois de ter usado o dinheiro que ele lhe deixou para comprar um apartamento em Londres, trabalha agora num bar no aeroporto onde tem de usar um uniforme ridículo e aturar um patrão intragável.

Lou vive com culpa de sobrevivente e é isso que faz no fundo, sobrevive em vez de viver. Sofre com a perda de Will e sente que o está a desapontar por não cumprir o seu pedido, mas não consegue mudar. Está presa na rotina. Até que um dia tem um acidente e cai do telhado do prédio e todos pensam ter sido uma tentativa de suicídio. Incluindo o paramédico que a socorre. E a sua família...

Quando recupera do acidente, Lou aceita procurar ajuda e é assim que começa a frequentar as reuniões do grupo de apoio Seguir em Frente, cujos membros passaram todos por uma perda difícil de superar. E é através de um dos membros do grupo que o paramédico que a socorreu naquela noite volta a entrar na sua vida. O seu nome é Sam Fielding e parece ser o único que realmente compreende o que Lou está a passar. Poderá Sam ser a segunda hipótese de Lou?

Mas o que acontecerá quando uma personagem do passado de Lou reaparecer com uma oportunidade única na vida?

Continuo a adorar a Lou e fiquei tão contente quando soube que a autora ia continuar a história dela... Não foi o murro no estômago que foi o primeiro livro (nem poderia nunca ser...), mas aborda um assunto importante e que a sociedade tem dificuldade em compreender: o tempo de luto não é igual para toda a gente. Não existe um tempo apropriado para ultrapassar a morte de alguém que amamos. Na verdade nunca ultrapassamos, só aprendemos a viver com isso. E a pressão para que avancemos com a nossa vida é contra-produtiva.

Apesar de Lou não ter tido ainda o seu feliz para sempre, tem um feliz por agora. Estou muito curiosa para ler o último livro da série, Still Me, mas, por algum motivo, apesar de já ter sido publicado há um ano e meio, ainda não foi publicado em Portugal...

Fonte


Classificação: 5

sábado, 14 de julho de 2018

Opinião: "Aquele Beijo"

Título original: It's In His Kiss
Autor: Julia Quinn
Série: Bridgertons #7
Tradutor: Helena Ruão
Editor: Edições Asa
Edição/reimpressão: Agosto de 2015
ISBN: 9789892332093
Páginas: 352


Sinopse: Gareth St.Clair vive momentos difíceis. Após a morte do irmão, passa a ser o único herdeiro da fortuna do pai. Infelizmente, o ódio deste por Gareth é tanto que prefere desbaratar o seu património a vê-lo nas mãos do filho. Resta-lhe como legado um velho diário, escrito pela avó paterna, que poderá conter os segredos do seu passado e a chave para o seu futuro. O único problema é que… o diário foi escrito em italiano, uma língua que o jovem não domina de todo.
Por um golpe de sorte, Gareth conhece Hyacinth Bridgerton, a mais jovem menina do conhecido clã, que nunca recusa um desafio, embora o seu italiano deixe muito a desejar. Além disso, Gareth intriga-a, pois parece estar sempre a rir-se dela. Juntos, embrenham-se nas páginas do velho diário, mas aquilo que vão descobrir transcende as palavras escritas em papel, e manifesta-se sob a forma de um simples - mas inesquecível - beijo…


A minha opinião: Não é fácil ser a irmã mais nova dos Bridgerton. Que o diga Hyacinth Bridgerton... Não só é a mais nova de oito irmãos, como quatro deles são homens... Ainda por cima nunca conheceu o pai, já que a mãe estava grávida dela quando ele morreu. Hyacinth cresceu, assim, superprotegida por toda a família, mas isso não a impediu de herdar a famosa rebeldia dos Bridgerton...

Tal como a sua irmã Eloise, Hyacinth é inteligente, obstinada, desbocada e irrequieta, tudo qualidades que a colocam firmemente fora da lista de noivas potenciais para os lordes em busca de mulher. Contudo, Hyacinth herdou também a bondade da família e Lady Danbury é, para além da sua família, uma das suas pessoas favoritas. E é por isso que a vai visitar todas as semanas para lhe ler. E é numa dessas visitas que conhece o neto dela, Gareth St.Clair.

Gareth sempre teve uma relação difícil com o pai, mas agora que o seu irmão morreu e ele passou a ser o único herdeiro, essa relação complicou-se ainda mais. Tendo herdado o diário da sua avó paterna, tem esperança de encontrar nele a resposta para segredos do passado e, talvez também para o seu futuro. O problema é que o diário foi escrito em italiano, língua que ele não domina. E é quando visita a avó materna, Lady Danbury, que conhece Hyacinth que, nunca voltando costas a um desafio, aceita traduzir-lhe o diário. Só há um pequeno senão... Hyacinth não é tão fluente a italiano como deu a entender...

A tradução do diário converte-se numa caça ao tesouro o que força Gareth e Hyacinth a conviverem fora dos normais círculos sociais. E a verdade é que Gareth intriga Hyacinth, pois ele não parece intimidado pela inteligência e perspicácia dela. Aliás, parece até apreciar tanto essas qualidades nela como aprecia uma boa troca de comentários mordazes entre ambos. E é o primeiro homem capaz de a deixar sem palavras...

Gareth tem a reputação de ser tão bonito quanto é perverso e, certamente, não está à procura de mulher. Mas Hyacinth não é como nenhuma mulher que já conheceu. Ela não finge ser quem não é para tentar arranjar marido, pelo contrário, ela diz o que tem a dizer quando o tem a dizer, sendo completamente desprovida de filtro. E é tão bela quanto inteligente e Gareth adora quando consegue provocá-la e deixá-la sem resposta...

Julia Quinn não desaponta e Aquele Beijo, como os anteriores da série, é um livro fantástico. Mas é também, pelo menos até aqui, o livro mais leve. Nem Hyacinth nem Gareth são personagens particularmente atormentados e não há propriamente uma grande dificuldade que tenham de ultrapassar. São ambos jovens que se apaixonam no decorrer de uma aventura e foi divertido acompanhá-los.

Agora só me resta saber o que a autora reservou para o Gregory...

Fonte

Uma nota final para capa da edição portuguesa: quem é que é suposto ser a loura da capa? É que a Hyacinth, como todos os seus irmãos, tem cabelo castanho... E não me lembro de ela ter um cão...


Classificação: 5

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Opinião: "O Último Minuto"

Título original: Deadline
Autor: Sandra Brown
Tradutor: Lídia Geer
Editor: Quinta Essência
Edição/reimpressão: Fevereiro de 2015
ISBN: 9789897261640
Páginas: 464


Sinopse: Dawson Scott é um jornalista muito respeitado recentemente regressado do Afeganistão. Assombrado por tudo o que viveu, sofre de neurose de guerra, o que é uma ameaça para todos os aspetos da sua vida. Um dia recebe o telefonema de uma fonte dentro do FBI. Houve um novo desenvolvimento numa história que começou há quarenta anos. Poderá ser a GRANDE história da carreira de Dawson, na qual ele tem um interesse pessoal.

Em breve Dawson está a investigar o desaparecimento e alegado homicídio do ex-fuzileiro naval Jeremy Wesson, filho biológico do casal de terroristas que permanece na lista dos Mais Procurados do FBI. Dawson dá então por si a gostar cada vez mais da ex-mulher de Wesson, Amelia, e dos seus dois filhos. Porém, quando a ama de Amelia aparece morta, o caso toma um novo rumo surpreendente, com o próprio Dawson a tornar-se suspeito. Assombrado pelos seus próprios demónios, Dawson inicia a perseguição dos famosos criminosos... e da verdade surpreendente e secreta sobre si próprio.


A minha opinião: Uau. Acho que O Último Minuto é bem capaz de ser o meu livro preferido de Sandra Brown a seguir a Calafrio...

Mais uma vez a autora entrelaça várias histórias aparentemente sem ligação, para no final, bum, reviravolta completamente inesperada e é assim que tudo se conjuga!

A história tem início em 1976, com o ataque surpresa de várias agências de segurança norte-americanas aos Comandos da Rectidão Divina, um grupo de terroristas domésticos. O ataque não correu como planeado e todos os elementos terroristas morreram numa troca de disparos (que também fez vítimas do lado dos agentes de segurança) com excepção do seu líder e da amante dele que conseguiram fugir. E, como se veio a descobrir depois de entrarem na casa, ela tinha dado à luz...

Trinta e sete anos depois, Dawson Scott é atraído a Savannah, na Geórgia, para acompanhar o julgamento de um homem acusado de matar a mulher e o amante dela. Dawson sofre de perturbação de stresse pós-traumático depois de estar nove meses no Afeganistão como repórter de guerra. Está a ter dificuldade a adaptar-se à vida normal e só aceita ir para Savannah depois de saber que, apesar do corpo do amante se encontrar desaparecido, foi encontrado o seu ADN na cena do crime e corresponde ao do bebé dos membros foragidos dos Comandos da Rectidão Divina.

Mas como podia Jeremy Wesson, um capitão dos Marines, veterano de guerra condecorado, ser filho de terroristas domésticos cujos alvos eram, precisamente, as instituições norte-americanas? É isso que Dawson se propõe investigar. Teria Jeremy escapado à influência dos pais ou tratar-se-ia de um plano paciente e maléfico?

Infelizmente, a forma que Dawson tem de se aproximar de Jeremy (cujo corpo, afinal, não foi encontrado) é através da ex-mulher dele, Amelia Nolan. Dawson não sabe se ela é inocente em tudo isto, mas sabe que, quer seja quer não, há uma forte probabilidade de Jeremy, se estiver vivo, voltar pelos filhos de ambos. E é por isso que aluga a casa ao lado da casa de férias para onde Amelia levou os dois filhos para os tentar proteger do escândalo.

Contudo, a sua vigia tem uma consequência inesperada e Dawson dá por si cada vez mais atraído por Amelia e pelos filhos dela. Também os miúdos gostam imediatamente de Dawson e, vê-los brincar com ele como não conseguiam brincar com o pai, torna Dawson ainda mais atraente aos olhos de Amelia.

Por mais que tentem, e embora não consigam evitar a desconfiança mútua, Dawson e Amelia não conseguem resistir à atracção. Mas há várias questões que os podem manter afastados: Amelia pode não ser tão inocente como parece; Jeremy pode estar vivo e à espreita; Dawson tem perturbação de stresse pós-traumático, algo com que Amelia já teve de lidar antes; e o que será feito dos pais de Jeremy?

Adorei O Último Minuto! Mais uma vez a autora consegue o balanço perfeito entre romance e suspense. Adorei a Amelia e o Dawson e a forma como não conseguem evitar cair nos braços um do outro. E confesso que não estava nada à espera da revelação final... Bravo, Sandra Brown!

Photo by Adam Kontor from Pexels


Classificação: 5

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Opinião: "The Hook Up"

Autor: Tawna Fenske
Série: First Impressions #3
Editor: Entangled: Lovestruck
Edição/reimpressão: Julho de 2017
ISBN: 9781640631717
Páginas: 260
Origem: Recebido em troca de uma opinião sincera

Sinopse: Ellie Sanders is over the fairytale, thank you very much. Content with her booming career as a purveyor of Madame Butterfly pleasure aids, she doesn’t need a man for anything—except maybe marketing tips. And, okay, a few fun nights with something that doesn’t require batteries.

Love, marriage, and family aren’t in the cards for Tyler Hendrix. Period. The Navy helped Ty put his tumultuous childhood behind him, but when a sexy single mom walks through the First Impressions door looking to take her business to the next level, he feels his carefully constructed “never-get-attached” walls crack.

As Ty and Ellie maneuver through a minefield of wardrobe malfunctions, plumbing mishaps, and the world’s most awkward accidental dirty talk, discovering they have more in common than scorching sexual attraction threatens to crumble Ty’s walls for good…

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Opinião: "Riskier Business"

Autor: Tessa Bailey
Série: Crossing the Line #0.5
Editor: Entangled: Select Suspense
Edição/reimpressão: Janeiro de 2015
ASIN: B00QQT7822
Páginas: 109


Sinopse: After a life of pool hustling and living on the wrong side of the law, Ruby Elliott is living on the straight and narrow with sexy-as-all-hell NYPD detective, Troy Bennett. Now the only trouble Ruby has with the law is the naughty kind, pinned against the wall by Troy's strict and spectacularly hard body. Obeying his every command. Both of them losing themselves in a lust that borders on obsession...

But then her father returns with an offer she can't refuse: one last hustle in exchange for information. Information she'd die to have. As the pieces and the players of the game reveal themselves, Troy feels the fine edges of his control slipping—control he can't channel without hurting Ruby. The stakes are high, and the risk higher. Because losing this final game could cost more than Ruby's heart…it might cost her life.


A minha opinião: Em 2016 comecei esta série pelo último livro e fiquei com muita vontade de ler os anteriores. Naturalmente comecei por este Riskier Business, sem me aperceber que é a continuação de outro livro de outra série...

Fonte

Obviamente que já o tenho, mas acho que vou terminar esta série antes de começar a outra e depois, provavelmente, releio este livro.

Bom, mas quanto à história em si. Acaba por se tratar de um "vamos ver o que é feito daqueles dois" e julgo que só quem já está emocionalmente investido neles poderá realmente tirar partido da história. O que não significa que não tenha gostado, porque gostei, mas a verdade é que, como já foram caracterizados noutro livro, senti que não fiquei realmente a conhecê-los...

O conflito centra-se no facto de Ruby Elliott, uma reformada vigarista de bilhar, agora numa relação com Troy Bennett, detective da polícia nova-iorquina, se ver na eminência de ter de dar um último golpe, um golpe que lhe poderá dar as respostas que tanto procura. Mas, para tal, terá de confiar no pai e se há algo que a vida lhe ensinou é que o seu pai não é confiável e tem sempre motivos escondidos. E terá de enganr Troy, o que lhe pode custar o amor da sua vida...

Apesar de, como já ter referido, não me ter conseguido investir nas personagens, as cenas entre os dois compensaram. É que a autora escreve dirty talkers como eu nunca li antes. E, OMD, como eu gosto deles! Fiquem com algumas amostras:

“Christ. How long has it been since I’ve gone down on you? Three days? Four? That’s a fucking sin.”
Fonte
“I have what makes you moan. What’s going to make those thighs open wide. I’ve got it right here and you’re fucking dying for it.”
Fonte
“I’m the kind of man who makes you this goddamn wet before he’s even touched you.”
Fonte

E havia tantos mais que podia dar...

Fonte


Classificação: 4

terça-feira, 10 de julho de 2018

Opinião: "Scotsmen Prefer Blondes"

Autor: Sara Ramsey
Série: Muses of Mayfair #2
Editor: Auto-publicado
Edição/reimpressão: Abril de 2012
ASIN: B00CHA2FVS
Formato: Ebook (Kindle) 
Páginas: 329


Sinopse: She never wanted marriage...

When a friend is forced to consider a marriage of convenience, Lady Amelia Staunton is determined to rescue her. But her plans trap her in an illicit seduction, and Amelia must marry him herself. Malcolm's all-consuming kisses and devilish humor might make up for her lost freedom, but she believes he will force her to abandon the Gothic romances she yearns to write. Since she can't escape him, she must distract him from her secret...

He isn't looking for love...

A powerful autocrat with a well-hidden rebellious streak, Malcolm MacCabe doesn't need another beautiful mistress - he needs an obedient wife. Obedience is not one of Amelia's virtues. But he's too enthralled by her wit and passion to let her go - even if it means risking the political reputation he is building to save his clan.

Their hearts can't survive the scandal...

Despite their intentions, every wicked embrace binds them together. But as their conflicting desires combust into insatiable hunger and unavoidable ruin, they must decide whether to pursue their personal destinies alone - or fight for the love that could destroy them both.


A minha opinião: Scotsmen Prefer Blondes tem como protagonista Lady Amelia Staunton. Tal como as suas amigas, Amelia tem um talento especial que tem de manter secreto pois, não só era mal visto a senhoras naquela altura, era especialmente escandaloso tratando-se de senhoras nobres. Ora o talento de Amelia é a escrita: ela escreve, e publica através de um pseudónimo, romances góticos.

Ela adora escrever, mas sabe que, se casar, terá de abandonar a escrita e é por isso que está determinada em ficar solteira para o resto da vida. Mas quando acompanha a sua amiga Prudence à Escócia para conhecer o futuro marido desta, Malcolm McCabe, Conde de Carnach, é, infelizmente, Amelia quem lhe chama a atenção.

Malcolm só quer uma mulher obediente, capaz de organizar eventos sociais e que não o envergonhe. Afinal, para salvar o seu clã ele precisa de conseguir influência política no parlamento inglês. Mas quando a sua prometida chega, é a amiga dela que lhe capta o olhar... Amelia é tudo aquilo que ele não procura numa mulher, é opinativa e teimosa, mas ele não consegue manter-se longe dela. E é quando a tenta beijar que são apanhados pelo irmão dela que os força a casarem.

E é assim que Amelia não só se vê num casamento que nunca desejou, como perde uma das suas melhores amigas. Não é que Prudence estivesse apaixonada por Malcolm, mas o seu casamento com ele resolveria a situação financeira da sua família e Amelia sabia isso...

Embora nenhum dos dois tivesse desejado o casamento, e embora andem constantemente às turras, a verdade é que são muito compatíveis no quarto... E proporcionam cenas particularmente fogosas... Malcolm é dominador e Amelia, surpreendentemente, é sexualmente submissa, embora me pareça que de início tenha usado essa submissão para o distrair do facto de escrever tantas "cartas".

E, eventualmente, ambos se apercebem que acabaram por se apaixonar um pelo outro. Mas Amelia continua a guardar um segredo que poderá arruinar as expectativas políticas do marido. Conseguirá ela abdicar da sua paixão por amor? Ou conseguirá ele aceitar que escrever é tão essencial para Amelia como respirar?

Gostei da história, mas gostava que a Amelia não tivesse perdido a sua fogosidade tão depressa depois do casamento, embora tenha noção que foi, provavelmente, para não chamar a atenção do Malcolm para a sua escrita. Mas as cenas entre os dois foram fantásticas e escaldantes. Mal posso esperar por ler a história de Pru, mas ainda tenho a da Ellie para ler primeiro.



Classificação: 4