quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Opinião: "A Bela e o Vilão"

Título original: When He Was Wicked
Autor: Julia Quinn
Série: Bridgertons #6
Tradutor: Helena Ruão
Editor: Edições Asa
Edição/reimpressão: Março de 2015
ISBN: 9789892329239
Páginas: 352

Sinopse: Libertino. Devasso. Debochado. Três adjetivos que podiam descrever Michael Stirling na perfeição. Bem conhecido nas festas londrinas, quer desempenhasse o papel de sedutor ou o papel de seduzido, uma coisa era certa: nunca entregava o coração. Ele teria até acrescentado a palavra “pecador” ao seu cartão de visita se não achasse que isso mataria a pobre mãe.
Mas ninguém é imune ao amor. Quando a seta de cupido atinge Michael, dá início a uma longa e tortuosa paixão – pois o alvo dos seus afetos, Francesca Bridgerton, tem casamento marcado com o seu primo.
Mas isso foi antes. Agora, Francesca está novamente livre. Infelizmente, ela vê Michael apenas como um ombro amigo – até à fatídica noite em que lhe cai inocentemente nos braços, e a paixão se revela mais poderosa e intensa do que o mais perverso dos segredos…

A minha opinião: E heis que tenho um novo favorito nesta série! A Célia do Estante de Livros já me tinha dito que eu ia gostar, e não estava enganada...

Por isso, vou já despachar os reparos à edição portuguesa para poder passar a fangirlar:
  1. Mas que raio de título é este? É suposto o Michael ser o vilão? Porque não é. Nem sequer faz sentido usar essa palavra no contexto da história... Qual era o mal de "Quando Ele Era Perverso?"
  2. A capa é bonita, mas seria mais adequada a um romance contemporâneo. Mas não é a pior...
A história tem início depois dos eventos de Amor e Enganos. Francesca casou-se com o homem que ama, John Stirling, o Conde de Kilmartin. E foi nessa noite que Michael Sterling, o primo de John, conheceu a mulher por quem se apaixonou. Infelizmente, essa mulher é Francesca... E assim começa o tormento de Michael, que adora o primo e usa outras mulheres para tentar esquecer Francesca, mas sem sucesso. Os três acabam por formar um trio inseparável e Francesca e Michael tornam-se grandes amigos. Mas apenas dois anos depois de casarem, John morre durante o sono.

Francesca está grávida, mas perde a criança, o que significa que Michael é agora o Conde de Kilmartin... Mas quando todos esperam que ele ocupe o lugar do primo, inclusive Francesca, o peso da culpa por estar a roubar a vida do primo é demasiado e ele foge para a Índia.

Quatro anos depois, Michael regressa a Londres e descobre que nem o tempo nem a distância foram suficientes para diminuir o seu amor por Francesca. Mas quando ela lhe comunica a sua intenção de voltar a casar, pois quer ter filhos, Michael percebe que o seu pesadelo está só a começar...

Francesca sentiu a falta de Michael. Afinal, ela não perdeu só o marido, perdeu também o melhor amigo. E nunca percebeu porquê... E agora que ele está de volta ela começa a reparar nele de uma forma que nunca antes tinha feito. Mas ela não pode pensar no primo do falecido marido dessa forma, pois não?

E é precisa uma ajudinha do mais improvável dos cupidos, Colin Bridgerton, que por esta altura está com os seus próprios problemas (a acção é simultânea à de A Grande Revelação), para que estes tolinhos finalmente se entendam.

Adorei tanto esta história! O Michael é um protagonista fantástico que na verdade nunca faz justiça à sua reputação de perverso (tirando, talvez, na cama) e a Francesca é uma mulher forte, apaixonada e decidida, que adora a família, mas tem noção de que é diferente. Eles entendem-se tão bem e complementam-se de uma forma fantástica. Eu adoro histórias de amor entre amigos, e esta definitivamente vai para o top!

Classificação: 5

-------------------------------------------------------------------

Este livro conta para os Desafios TBR Pile 2016 e Mount TBR 2016.

Sem comentários :

Enviar um comentário