segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Opinião: "Muffin Top"

Autor:
Editor: Auto-publicado
Edição/reimpressão: Setembro de 2016
ISBN: 9781601835918
Páginas: 173
Origem: Recebido para review em troca de uma opinião sincera

Sinopse:  She walked into my bakery
and my dough wasn't the only thing rising...


Long legs, a big chest, and perfect, round buns.
I'd give anything to roll with her and that adorable muffin top she's packing. 

There's just one problem...
and that's the Irish mob jerk who thinks he owns her. 

To hell with that.

If she's gonna have a bun in her oven...
it's gonna be mine.

He's a bad boy with a bakery.
She's a BBW with a bar.
Muffin Top. It's a love story... with a twist!


Muffin Top is action-packed, sinfully steamy, and sure to satisfy your sweet tooth!


A minha opinião: Muffin Top foi uma agradável surpresa! Nunca tinha lido nada da autora, mas já tenho mais uma série de livros dela no kindle à espera de vez!

A história é bastante simples e passa-se num curto período de tempo, mas a forma como está escrita agarrou-me e deixou-me encantada!

Evey é dona de um bar a meias com o irmão. Um dos seus prazeres diários é passar pela padaria que fica ao lado do bar antes de ir trabalhar e comprar um café e um muffin de mirtilo. E apreciar o jeitoso do pasteleiro... Um dia ela e o irmão recebem uma visita inesperada enquanto se estão a preparar para abrir o bar: o mafioso irlandês a quem o irmão dela deve dinheiro. E quando se torna óbvio que os irmãos não têm o dinheiro para lhe pagar, ele sugere receber em géneros: a Evie.

Vincent é o dono da pastelaria Muffin Top. Ele é um antigo Navy SEAL, com fantasmas pesados. Desde que voltou a ser um civil, refugiou-se na pastelaria e tem muito poucas alegrias na vida. Mas uma das poucas alegrias que tem é a visita diária de Evey. Vê-la a saborear o seu muffin é o ponto alto do seu dia...

Eles nunca interagiram realmente para além do mínimo necessário para ela comprar o muffin e o café e até isso já se tornou tão habitual que nem sequer requer que falem um com o outro. Mas quando se torna evidente o perigo em que Evey está, nada nem ninguém vão impedir Vincent de a proteger...

Adorei a história deste dois! O facto de ambos estarem atraídos um pelo outro, mas não tentarem nada por acharem que não são suficientemente bons para o outro... A Evey é uma moçoila corpulenta e está habituada a não ser popular com o sexo oposto, por isso nem sequer lhe passa pela cabeça que o pasteleiro musculado e tatuado lhe vá achar alguma piada. Não que ela seja complexada, nada disso, ela é como é e gosta de si assim, mas sabe por experiência que não corresponde ao ideal de beleza feminina... Não podia estar mais enganada. Foi precisamente por ela ser tão fiel a si mesma, por ter tanto prazer com a comida e não o esconder que Vincent se encantou com ela. Só que ele é um homem quebrado e está convencido que não tem nada para lhe oferecer. E contentou-se em admirá-la à distância...

O Vincent é fantástico! As pequeninas coisas que ele faz, como pôr sempre um muffin de mirtilo à parte para que haja sempre um para a Evey quando ela chegar, o facto de ir sempre colocar o lixo lá fora de madrugada quando começa a cozinhar porque é a essa hora que ela está a sair do bar... Opá, ele é tão querido! E ela não faz mesmo ideia do interesse dele... Mas quando finalmente percebe e agem na atracção que sentem um pelo outro, a temperatura na cozinha aumenta. E bastante!

Gostei mesmo muito. O meu único problema com o livro (e o motivo porque não lhe dei 5) foi o facto de tudo se ter passado muito rápido. Para quem andou um ano a contentar-se com olhares roubados, apaixonarem-se em dois dias foi um bocadinho demais...

A autora escreveu uma pequena continuação da história destes dois passada na época natalícia e eu já a tenho para ler!

Classificação: 4

Sem comentários :

Enviar um comentário