sábado, 31 de janeiro de 2015

Balanço Mensal (Janeiro 2015)

Fonte
E chega a altura de fazer o primeiro balanço mensal do ano! Até agora não está a correr nada mal. As leituras estão a decorrer a bom ritmo e não me tenho alargado com as aquisições...

Em Janeiro terminei a temporada temática dedicada ao Natal e o balanço, mais uma vez, foi extremamente positivo! Este mês li seis livros, quatro ebooks e dois livros em papel. As opiniões estão, finalmente, em dia! \o/

Assim, em Janeiro li: Heating Up the Holidays de Lisa Renee Jones, Mary Ann Rivers e Serena Bell, Christmas on 4th Street de Susan Mallery, Amuleto de Roberto Bolaño, An American Girl in Italy de Aubrie Dionne, Princess Charming de Nicole Jordan, Fangirl de Rainbow Rowell e estou a ler Expiação de Ian McEwan.

Atribuí classificação 5 a Fangirl de Rainbow Rowell que foi, assim, o melhor do mês!


Este mês só comprei dois livros que estavam em promoção e já constavam da minha wishlist há algum tempo, mas recebi também dois que ganhei em passatempos em Dezembro e cinco que ganhei no LibraryThing. Os três ebooks seguintes foram requisitados no NetGalley e os últimos nove estavam todos gratuitos.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Opinião: "Fangirl"

www.wook.pt/ficha/fangirl/a/id/15285326?a_aid=4e767b1d5a5e5&a_bid=b425fcc9
Autor: Rainbow Rowell
Editor: Pan Macmillan
Edição/reimpressão: Janeiro de 2014
ISBN: 9781447263227
Páginas: 480

Sinopse: Cath and Wren are identical twins, and until recently they did absolutely everything together. Now they're off to university and Wren's decided she doesn't want to be one half of a pair any more - she wants to dance, meet boys, go to parties and let loose. It's not so easy for Cath. She's horribly shy and has always buried herself in the fan fiction she writes, where she always knows exactly what to say and can write a romance far more intense than anything she's experienced in real life.

Now Cath has to decide whether she's ready to open her heart to new people and new experiences, and she's realizing that there's more to learn about love than she ever thought possible ...

A tale of fanfiction, family, and first love

A minha opinião: Eu tinha expectativas para este livro. Muitas expectativas. E, por as ter, também tinha algum receio quando iniciei esta leitura. Mas, felizmente, os meus receios eram infundados e as minhas expectivas foram largamente superadas! Considerem-me, a partir de agora, a mais recente convertida à genialidade de Rainbow Rowell! Afinal eu consigo adorar livros young adult com histórias perfeitamente reais e contemporâneas (pelo menos se forem escritos por ela)...

O meu interesse por este livro foi espicaçado pelas muitas opiniões positivas que li por essa internet fora, mas foi só depois de ter começado a seguir a autora no twitter (e perceber que partilhamos interesses e opiniões) que realmente fiquei com vontade de ler um dos seus livros. Numa compra de impulso, resolvi-me por este Fangirl.

E foi impossível não me identificar com a protagonista, Cath, que deixa a sua casa para ir para a faculdade e tem de se adaptar a novas pessoas e novas situações. O que se torna ainda mais complicado quando se é introvertida como ela... Embora com as devidas diferenças, revi-me em muitas situações vividas pela Cath, o estar longe de casa pela primeira vez, o ajustar a um novo cenário e diferentes expectativas (nossas e de nós), totalmente diferentes das do secundário, e a dificuldade em lidar com o facto de que as pessoas à nossa volta parecem estar a ajustar-se bem melhor do que nós à nova realidade - been there, done that.

E depois há ainda um outro factor de identificação: é que eu descobri o Harry Potter quando estava na faculdade e foi aí que, juntamente com colegas, vivi a expectativa do próximo lançamento e descuti exaustivamente a história. E Rainbow Rowell é também ela, claramente, uma fã de Harry Potter, uma vez que criou todo um universo semelhante (à volta do personagem Simon Snow), acerca do qual a protagonista escreve fanfiction. E a sua ficção é bastante conceituada no meio, tendo ela própria (enquanto Magicath) uma legião de fãs.

Fangirl é uma história de crescimento, sobre a entrada na idade adulta e de como isso não significa necessariamente abandonar as coisas que são importantes para nós. Adorei a Cath e identifiquei-me com ela em tantas coisas. É difícil quando, de repente, nos vimos num meio desconhecido, longe de casa, e toda a gente menos nós parece estar a adaptar-se bem. E adorei que ela se mantenha fiel a si mesma sempre. E adorei a relação dela com o pai. E, obviamente, adorei a relação dela com o Levi, tão fofinha e, mesmo apesar daquele malfadado passo dele em falso, ele redime-se em grande e está sempre lá para ela, e nunca a força a nada e é, simplesmente, o namorado perfeito!

Tenho a sensação que escrevi muito, mas acabei por contar muito pouco, mas talvez tenha sido pelo melhor. Assim não estrago a ninguém o prazer de descobrir esta história fantástica!

Claro que agora quero ler TODOS os livros da autora, principalmente o próximo, que irá sair em Outubro e que se intitulará Carry On e que, "coincidentalmente", é o título da fanfiction que a Cath está a escrever em Fangirl. OMD!

Classificação: 5

-------------------------------------------------------------------

Este livro conta para os Desafios TBR Pile 2015, Mount TBR 2015 e Monthly Key Word Challenge 2015 (Girl)

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Novidades (26)


Há quase um ano que não fazia um post de novidades, mas decidi que os retomaria este ano, por isso, aqui ficam as novidades de Janeiro que mais me chamaram a atenção (nacionais e internacionais):

O Prazer
Nicole Jordan

Quinta Essência
PVP €16,60
368 pp.
Jeremy Dare North, marquês de Wolverton, é um espião e um libertino. Frio e calculista, no passado tinha sido um jovem apaixonado, disposto a fugir e a deixar tudo pela sua amada. Mas a traição desta levou-o a alistar-se no exército e a fechar para sempre o seu coração.
Anos mais tarde, quando a traição ameaça a Coroa, Dare vê-se forçado a recrutar Julienne, o seu primeiro e único amor, para o ajudar a desmascarar um traidor mortífero.

Forçada a trair o único homem que amou, Julienne quer apenas esquecer a terna paixão que ambos conheceram em jovens. Porém, quando Dare anuncia publicamente que a tomará de novo como amante, ela responde ao desafio com um da sua autoria: fazer ajoelhar aquele homem arrogante.

O reencontro do casal desencadeará muitas paixões e um perigoso jogo de sedução. No final, juntos descobrirão o que Dare negou toda a sua vida: que não existe maior prazer que o verdadeiro amor.

Li a autora pela primeira vez este mês, e agora quero ler todos os seus livros!


Playing by the Greek's Rules
Sarah Morgan

Harlequin
192 pp.
It's time to throw away the rule book…

Idealistic archaeologist Lily Rose craves a fairy-tale love, but in her experience it always ends in heartbreak. So now Lily's trying a different approach—a fling with her boss, infamous Greek playboy Nik Zervakis!

Anti-love and anti-family, Nik lives by his own set of rules. There's no one better to teach Lily how to separate sizzling sex from deep emotions! But while Nik has the world at his feet, he also has dark shadows in his heart…

It starts as a sensual game, but can Lily stick to Nik's rules? And what's more, can he?

Uma nova série de uma autora que descobri no ano passado e que adoro!


The Dangerous Love of a Rogue
Jane Lark
HarperImpulse
336 pp.
"Pure, unadulterated romance." Best Chick Lit.com

The next book in Jane Lark's Kindle best-selling Regency romance series!

“The game is on with Pembroke’s little sister…” Lord Andrew Framlington watched Miss Mary Marlow. The woman had been warned to keep away from him, but she had a little contrary in her soul. She had not been deterred. Perhaps she had a taste for bad hidden beneath her cold denials, or a liking for naughtiness in her soul – either of which appealed.

“Stop pretending you do not like me…” Drew had urged Mary, "Stop running…" Her body urged her to as much as he did. Something pulled her towards him. Something unknown and all consuming… and yet how could she disobey her father and her brother…

Mais uma autora que descobri no ano passado e uma série que estou a adorar seguir...


The Other Duke 
Jess Michaels 
The Passionate Pen 
240 pp.
For years Serafina McPhee has been engaged to marry the heir to the Duke of Hartholm and for almost as long, she has been struggling to find a way out of that engagement. When he suddenly dies, she does not mourn but thrills at the idea that she will be free. Unfortunately, best laid plans go awry when the next in line for the title, her intended’s cousin, Raphael “Rafe” Flynn is forced to take over the engagement. But Serafina knows Rafe’s reputation as a libertine and wants nothing to do with him, either, even if he is devastatingly handsome.

She proposes an arrangement: she will agree to the marriage and provide Rafe with his heir and spare. Once she has done her duty, he will let her go. Rafe is intrigued both by her beauty and by her utter disgust with the idea of being his bride. Women normally fall at his feet, not cringe away from him. However, since their arranged marriage is not something he can escape, he agrees to her terms.

But when he finds out on their wedding night the truth about her torture at the hands of his predecessor, he finds himself driven not just to fulfill his bargain with his new bride, but to introduce her to desire. While they move closer together, surrendering to wicked pleasures, dangerous emotions may violate every agreement they’ve made.
 

A autora decidiu auto-publicar a partir deste ano e este é o primeiro livro de uma nova série. Espero que isso não signifique que deixe de ser publicada por cá...

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

It’s Monday! What Are You Reading? (53)

http://bookjourney.wordpress.com/
Esta rubrica é uma iniciativa do blogue Book Journey e, no fundo, consiste num apanhado semanal, não só do que estou a ler e do que li na semana que passou, mas também do que publiquei no blogue nessa semana. É possível também que destaque artigos, sempre que algum me chame a atenção.

Ontem terminei Fangirl de Rainbow Rowell (adorei!) e comecei hoje Expiação de Ian McEwan (finalmente...).


∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞

As opiniões estão, finalmente, em dia:

∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞ 

No Ler por Aí..., a Patrícia C. chama a atenção para (mais) um artigo de opinião com a mensagem de que ebooks não são livros a sério. Sinceramente o tema já me cansa... Aceito perfeitamente que há quem não goste de ebooks, e aceito os seus argumentos para continuarem a preferir livros físicos, mas deixem lá os ebooks em paz... Quem não gosta, não come, tá?
"Livros a sério" ???? A sério?

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Opinião: "Princess Charming"

www.wook.pt/ficha/princess-charming/a/id/11902520?a_aid=4e767b1d5a5e5&a_bid=b425fcc9
Autor: Nicole Jordan
Série: Legendary Lovers #1
Editor: Ballantine Books
Edição/reimpressão: Janeiro de 2012
ISBN: 9780345525284
Páginas: 400

Sinopse: In Nicole Jordan’s dazzling new Regency series, the scandalous Wilde cousins seek true love by imitating history’s legendary lovers . . . beginning with Ashton Wilde, Marquis of Beaufort, who takes on the daunting role of Prince Charming to an unlikely Cinderella.

Thanks to the mischievous meddling of his matchmaking sister, Ashton Wilde meets a damsel in distress during the midnight magic of a lavish ball. But Maura Collyer isn’t looking for a prince—or an intimate pairing with any member of the scandalous noble Wilde family.

Intrigued by Maura’s beauty and daring, Ash is determined to aid in the rescue of her beloved stallion, gambled away by her wicked stepmother to an evil viscount. As their adventure becomes rife with peril and passion, Ash suspects he’s found his heart’s desire.

Even though her dearest friend may be her self-proclaimed fairy godmother, Maura is mortified at being pushed into a romance with a notorious rake such as Ash. Dashing and charming, he comes to Maura’s rescue just in time to help her steal back her precious horse. As they flee across the countryside, she can’t resist his sweet seduction. But is her prince playing a role in a fairy tale to test an improbable theory, or is the love awakening in her heart proof of her own happily ever after?


A minha opinião: Princess Charming é o primeiro livro de uma série focada nos cinco primos Wilde, Ashton e Katharine (que são irmãos), Quinn e Skye (também irmãos) e Jack. Todos eles perderam os pais muito novos e, talvez por isso, estão a ter dificuldades em seguir a tradição familiar de se apaixonarem perdidamente e para sempre. E é por isso que a Kate chega à conclusão que terão de dar uma ajudinha ao destino, imitando amantes lendários da história.

De facto, ela afirma já ter identificado praticamente todas as histórias que cada um deles terá de imitar e que, no caso do seu irmão Ash, a história é a da Cinderela que é, nem mais nem menos que a sua melhor amiga Maura Collyer. E, para ajudar as coisas, Kate até engana o irmão para que este dê um baile em casa...

À primeira vista, Maura realmente parece ter muito em comum com a Cinderela: tem uma madrasta com quem não se dá bem e duas irmãs adoptivas (e aí não há semelhanças porque as três irmãs adoram-se) e, para além de se encontrar numa situação económica instável, tem de lidar com um visconde horrível responsável pela queda em desgraça do seu pai e pela sua subsequente morte. Mas, ao contrário da Cinderela original, Maura não precisa de um principe para a defender, ela sabe defender-se muito bem sozinha, está habituada a isso.

Contudo, Ash não se demove e, a pouco e pouco, convence-a a aceitar a sua ajuda e a aliviar o peso que tem nos ombros. E, embora ao inicio a teoria da sua irmã lhe parecesse ridícula, quanto mais tempo passa com Maura, mais se convence que talvez o seu futuro seja como Príncipe Encantado de uma Cinderela improvável.

Gostei muito deste primeiro livro de uma série que acho que vou adorar. Os cinco primos são fantásticos, muito unidos e sempre prontos a ajudar-se. E a forma como imediatamente acolhem a Maura como uma deles e se prontificam a ajudá-la é fantástica! Este já é, pelo menos, o terceiro recontar da história da Cinderela que leio, e gostei muita da forma como a autora o fez, com uma Cinderela forte e independente que aprende que deixar que aqueles que gostam dela a ajudem não a torna fraca, e um Príncipe Encantado que não se impõe, que inclui a Cinderela nas decisões, e que aceita e gosta que ela seja uma mulher independente. São um par fantástico, especialmente quando se estão a picar um ao outro...

Mal posso esperar por ler o próximo livro da série que será um recontar do Romeu e Julieta, com o Jack como protagonista.
Classificação: 4

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Opinião: "An American Girl in Italy"

www.wook.pt/ficha/an-american-girl-in-italy/a/id/15862445?a_aid=4e767b1d5a5e5&a_bid=b425fcc9
Autor: Aubrie Dionne
Editor: HarperImpulse
Edição/reimpressão: Maio de 2014
ISBN: 9780007594443
Páginas: 182
Origem: Requisitado no NetGalley

Sinopse: An Italian paradise is the last thing she wants… but the one thing she needs!
Surely any girl would kill for the chance to tour Italy’s most famous cities for the summer? To experience the warmth of the Tuscan sun, the culinary delights of the pizzerias and caffés and to stroll along the cobbled streets of the City of Love itself…
Any girl apart from ambitious oboist Carly Davis that is! For her, the Easthampton Civic Symphony’s latest European tour is one massive inconvenience. She can’t even put her smartphone down long enough to snap a picture of the Coliseum.
Only, there’s one Italian attraction that Carly hadn’t quite expected to be a part of the tourist route…

Tour guide Michelangelo is as dark and delicious as Carly’s morning espresso. And when she needs a few lessons in the language of love to land her an important gig, he’s a more than capable tutor.

But with her promising career back in Boston, can Carly really afford to lose her heart in Italy?

A minha opinião: À partida, esta história tinha tudo para me agarrar: uma americana completamente focada na carreira que viaja para Itália em negócios e conhece um atraente italiano que lhe mostra que a vida é mais do que trabalho? Sim, por favor!

Infelizmente, a autora decidiu seguir a via do amor instantâneo... E, quando digo instantâneo, quero mesmo dizer instantâneo, que logo no final do primeiro capítulo, tinham os protagonistas acabado de se conhecer, e já o Michelangelo ponderava se não conseguiria que a Carly se apaixonasse por ele ao mesmo tempo que iria conseguir que ela se apaixonasse por Roma...

Epá, não. Não. Amor instantâneo é o tipo de coisa que até pode resultar quando os personagens são adolescentes ou jovens adultos, mas como adultos não me convence. Se os personagens tivessem tido uma atracção imediata, luxúria instantânea, chamemos-lhe assim, e à medida que passassem tempo um com o outro e se fossem conhecendo, acabassem por se apaixonar, provavelmente teria adorado a história.

Ainda por cima porque o cenário era totalmente propício a esse tipo de história, uma vez que, não só a Carly estará em Itália durante pouco tempo, também o Michelangelo tem problemas mais graves com que se preocupar, como tentar salvar a vinha da família... Uma aventura de Verão com prazo para terminar, mas que se transforma em algo mais faria muito mais sentido, para mim, do pensarem logo em ficarem juntos desde o início, quando ambos sabem que ela se vai embora no final da tournée...

Mas enfim, nem sempre temos aquilo que esperamos. Gostei muito do facto do Michalangelo ser um cavaleiro andante, e não só para a Carly, sempre pronto a largar tudo para ajudar e fazer a coisa certa. Também gostei bastante do elenco de personagens secundárias, os restantes membros da orquestra. E gostei principalmente das descrições de Itália, país que quero mesmo muito visitar. 

Classificação: 2

-------------------------------------------------------------------

Este livro conta para os Desafios Netgalley & Edelweiss Reading 2015 e TBR Pile 2015.

Visit

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Top Ten Tuesday - Autores dos quais possuo maior número de livros (FREEBIE)

Top Ten Tuesday é uma rubrica original do site The Broke and the Bookish, na qual, cada semana, nos é dado um tema para o qual devemos fazer uma lista.

Esta semana o tema é livre, por isso vou recuperar um tema anterior que não fiz na altura: o top 10 dos autores dos quais possuímos maior número de livros. Graças ao goodreads, até nem foi muito difícil de a compilar:
  1. Agatha Christie - tenho 54 livros, li 26.
  2. Isabel Allende - tenho 19 livros, li 6.
  3. Arthur Conan Doyle - tenho 17 livros, li 5 (alguns tenho repetidos, mas só estou a contar uma edição de cada).
  4. Nicholas Sparks - tenho 15 livros, li 4 (a maior parte são da minha mãe, mas eu quero lê-los).
  5. Sandra Brown - tenho 13 livros, li 9 (também tenho uma edição repetida, mas não a estou a contar).
  6. Madeline Hunter - tenho 12 livros, li 5.
  7. Tiago Rebelo - tenho 10 livros, li 2 (a maior parte são dos meus pais, mas eu quero lê-los). 
  8. J.K. Rowling - tenho 9 livros, li 8.
  9. José Saramago - tenho 8 livros, li 2.
  10. James Patterson - tenho 7 livros, li 4.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Opinião: "Amuleto"

www.wook.pt/ficha/amuleto/a/id/14827908?a_aid=4e767b1d5a5e5&a_bid=b425fcc9
Título original: Amuleto
Autor: Roberto Bolaño
Tradutor:
Editor: Quetzal
Edição/reimpressão: Março de 2013
ISBN: 9789897220883
Páginas: 144

Sinopse: A voz arrebatadora de Auxílio Lacouture narra um crime atroz e longínquo, que só virá a ser revelado nas últimas páginas deste romance - no qual, de resto, não escasseiam crimes, sejam eles os do quotidiano, ou os da formação do gosto.
Uruguaia de meia-idade, alta e magra como Dom Quixote, Auxilio ficou escondida na casa de banho das mulheres, enquanto a políca ocupava, de forma brutal, da Faculdade de Filosofia e Letras da Cidade do México, em 1968. Durante os dias que aí permaneceu, os lavabos converteram-se num túnel do tempo, que lhe permitiu rememorar os anos vividos no México e antever os que estavam por vir.
Neste exercício evoca a poeta Lilian Serpas, que foi para a cama com Che, e o seu desafortunado filho; os poetas espanhóis León Filipe e Pedro Garfias, a quem Auxílio serviu voluntariamente como empregada doméstica; a pintora catalã Remedios Varo e a sua legião de gatos; o rei dos homossexuais da colónia Guerrero e o seu reino de terror; Arturo Belano, uma das personagens centrais de Os Detetives Selvagens; e a derradeira imagem de um assassínio esquecido.

A minha opinião: Em Amuleto, Roberto Bolaño parte de uma situação real, a ocupação da Faculdade de Filosofia e Letras da Cidade do México, pela polícia, em 1968, para criar uma história que acaba por acompanhar os principais acontecimentos da próxima década, não só no México, mas também por toda a América do Sul. E é através do olhos de Auxílio que o autor nos conta essa mesma história.

Auxílio é uruguaia e encontra-se ilegal no México. Foi para o México, não para encontrar melhores condições de vida, mas para conviver com os poetas mexicanos e é isso que faz, trabalhando (a maior parte das vezes de graça) nas suas casas e na Universidade. E é quando Auxílio se encontra precisamente na casa de banho das mulheres do quarto andar da Faculdade de Letras que a polícia mexicana ocupa a universidade e Auxílio fica presa durante treze dias.

Auxílio começa então a recordar os acontecimentos desde que chegou ao México, mas também aquilo que experienciará depois de sair da casa de banho, misturando passado e futuro e com algumas incursões no presente, à medida que o tempo vai passando e Auxílio vai perdendo as forças.

Apesar de também existirem outras personagens criadas pelo autor (e algumas delas protagonistas de outros livros), através de Auxílio conhecemos vários personagens reais, principalmente poetas, mas também pintores, a elite intelectual mexicana da época, profundamente marcada pelos acontecimentos de 1968, a ocupação da universidade, e, posteriormente, o massacre de centemas de estudantes e civis, assassinados a mando do governo, como forma de suprimir a oposição. Acontecimentos que também marcaram, obviamente, o autor, que me pareceu querer fazer com este livro uma homenagem a essa geração perdida. Gostei e vou querer ler mais alguma coisa do autor.

Classificação: 3

It’s Monday! What Are You Reading? (52)

http://bookjourney.wordpress.com/
Esta rubrica é uma iniciativa do blogue Book Journey e, no fundo, consiste num apanhado semanal, não só do que estou a ler e do que li na semana que passou, mas também do que publiquei no blogue nessa semana. É possível também que destaque artigos, sempre que algum me chame a atenção.

Na passada semana li Princess Charming de Nicole Jordan e agora estou a ler Fangirl de Rainbow Rowell.


∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Balanço Final da Temporada Temática Natal 2014


E com a publicação da última opinião é tempo de fazer o balanço da segunda temporada temática dedicada a leituras sobre o Natal ou que se passem na época natalícia. O plano inicial era que tivesse lugar entre 1 de Dezembro e 6 de Janeiro, mas, tal como na temporada anterior, acabei por prolongá-la mais uns dias e, efectivamente, só terminou a 9 de Janeiro.
 

Li um total de 10 livros, todos no kindle:
  1. Maybe This Christmas de Sarah Morgan;
  2. A Fool's Gold Christmas de Susan Mallery;
  3. Holiday Kisses de Alison Kent, Jaci Burton, HelenKay Dimon e Shannon Stacey;
  4. Naughty Or Nice? de Lori Connelly, AJ Nuest, Aimee Duffy, Angela Campbell, Carmel Harrington, Charlotte Phillips, Erin Lawless, Jane Lark, Linn B. Halton, Lisa Fox, Lynn Marie Hulsman, Mandy Baggot, Romy Sommer, Teresa F. Morgan e Zara Stoneley;
  5. Take Me Home for Christmas de Brenda Novak;
  6. The Heart of Christmas de Brenda Novak;
  7. The French for Christmas de Fiona Valpy;
  8. The Kiss Before Midnight de Sophie Pembroke;
  9. Heating Up the Holidays de Lisa Renee Jones, Mary Ann Rivers e Serena Bell;
  10. Christmas on 4th Street de Susan Mallery.
Em relação ao ano passado, li menos um livro, mas ultrapassei o número de páginas lidas (3267 contra 2747, uma diferença superior a 500 páginas!).

Os mais natalícios foram Maybe This Christmas e The Kiss Before Midnight. Felizmente não houve grandes desilusões este ano, tirando o segundo conto de Heating Up the Holidays.

Mais uma vez foi um prazer dedicar este mês e pouco a leituras natalícias e, definitivamente, vai haver uma temporada 2015!

Opinião: "Christmas on 4th Street"

www.wook.pt/ficha/christmas-on-4th-street-mills-boon-m-b-a-fool-s-gold-novel-book-12-5-/a/id/15568104?a_aid=4e767b1d5a5e5&a_bid=b425fcc9
Autor: Susan Mallery
Série: Fool's Gold #12.5
Editor: Harlequin
Edição/reimpressão: Setembro de 2013
ISBN: 9780373777822
Páginas: 336
Origem: Requisitado no NetGalley

Sinopse: There's nowhere better to spend the holidays than with New York Times bestselling author Susan Mallery in the town of Fool's Gold, where love is always waiting to be unwrapped…

Noelle Perkins just got a second chance at life, and she intends to make the most of every minute. That's why she ditched a frustrating legal career to open her own store in Fool's Gold, California. The Christmas Attic celebrates everything that's magical about her favorite season. Business is booming, and as a bonus, gorgeous army doctor Gabriel Boylan has offered to help out during the holiday rush.

Gabriel's memories of Christmas past contain more sour grapes than sugar plums, thanks to a drill sergeant father who ran his home like a boot camp. Spending the holidays with his family while he recuperates from injury sounds as appetizing as last year's eggnog. Still, there are some enjoyable distractions in town, including sunny, sexy Noelle…and the red-hot mistletoe kisses they can't stop sharing.

Gabriel didn't think he was made for happily-ever-afters. But when fate hands you a love as sweet and surprising as this, only a fool could refuse…. 

A minha opinião: E lá voltei a Fool's Gold... Desta vez os protagonistas são Noelle Perkins e Gabriel Boylan e passou-se cerca de um ano desde os eventos de A Fool's Gold Christmas. Gabriel é médico do exército e, embora o plano inicial não fosse esse, acaba em Fool's Gold para passar as festas (da Acção de Graças ao Ano Novo) com a família em casa do irmão, Gideon. É a primeira vez que Gabriel vê o irmão desde que ele encontrou o seu feliz para sempre (num livro anterior que não li) e, apesar dos anos que passaram separados, facilmente retomam a boa relação que sempre tiveram. O problema continua a ser o pai de ambos, sargento de profissão, e que sempre os tratou como se fossem soldados e que ainda agora continua a criticar todas as escolhas de Gabriel. Felizmente que há a Noelle, a amiga da sua futura cunhada, para o manter distraído...

Noelle mudou-se para Fool's Gold há alguns meses e abriu uma loja de produtos natalícios (que, confesso, me fez muita confusão quanto à sua viabilidade no resto do ano...). Depois de passar por tempos difíceis, Noelle está determinada em ser feliz, assentar e formar uma família. E sabe que Gabriel não quer nada disso, por isso envolver-se com ele é mesmo uma péssima ideia... Mas a atracção entre ambos é muito forte e não ajuda nada o facto de ele se ter empregado na loja dela para evitar passar tempo com o pai...

Gabriel tem a oportunidade de deixar o exército, o que é mais uma fonte de discórdia com o pai, mas não sabe o que fazer, pois não sabe o que quer. Sabe, sim, o que não quer. Não se quer apegar a ninguém, pois, cortesia do que experienciou como médico do exército, sabe como tudo muda num instante e como a vida é breve e frágil. Mas a convivência com Noelle e a forma optimista como encara a vida, apesar de tudo aquilo por que passou, começa a fazê-lo considerar se não haverá afinal outra forma de encarar o futuro...

Gostei bastante desta história e dos seus protagonistas. São ambos personagens muito reais e com problemas reais e contemporâneos. E toda a envolvência dos rituais de Natal da cidade (que começo a conhecer), bem como da loja de Noelle, soube especialmente bem, considerando que o li na época apropriada.

Já apanhei esta série a meio, mas vou continuar a segui-la e já tenho os próximos à espera de vez.

Classificação: 4

-------------------------------------------------------------------

Este livro conta para os Desafios Netgalley & Edelweiss Reading 2015 e TBR Pile 2015.


Classificação natalícia: