sábado, 29 de agosto de 2015

Opinião: "Milagre de Amor"

www.wook.pt/ficha/milagre-de-amor/a/id/13174201?a_aid=4e767b1d5a5e5&a_bid=b425fcc9
Título original: When Beauty Tamed the Beast
Autor: Eloisa James
Série: Fairy Tales #2
Tradutor: Maria Manuela Novais Santos
Editor: Quinta Essência
Edição/reimpressão: Julho de 2012
ISBN: 9789897260162
Páginas: 372

Sinopse: Se ao menos o vestido de Miss Linnet Berry Thrynne não tivesse sido tão decotado, ou se ela não tivesse sido apanhada a beijar aquele príncipe...

Mas agora que todos pensam que Linnet está grávida do príncipe - e, por isso, ninguém a irá desposar - mais vale ela dar uma alegria ao seu pai desesperado e consentir casar com uma «besta». Um cirurgião brilhante, com reputação de perder a paciência - e uma ferida que se julga tê-lo deixado... incapaz - Piers, conde de Montague, deve receber de braços abertos uma futura noiva que tem já no ventre um herdeiro de sangue azul. Mas Piers não se deixa enganar pelo subterfúgio da senhora, e apesar de Linnet ser diabolicamente inteligente e encantadora, com uma beleza que ofusca o Sol, não haverá casamento da bela com o monstro. No entanto, Linnet acha o belo homem intrigante, e é óbvio a olho nu que «incapaz» não significa «desinteressado»...

A minha opinião: Milagre de Amor (detesto o título, já agora; qual era o problema com Quando a Bela Domou a Besta?) é um recontar da história da Bela e o Monstro. Tinha curiosidade em saber como a autora iria abordar a questão do Monstro, pois parecia-me algo difícil de fazer sem recorrer ao paranormal, mas a autora conseguiu-o de forma brilhante!

A Bela da história é Linnet Berry Thrynne, uma jovem debutante caída em desgraça. E a sua desgraça resume-se ao facto de toda a sociedade londrina acreditar que esta espera um bebé de um príncipe. Boato que ganhou força por três motivos: uma intoxicação alimentar, uma escolha de vestuário infeliz e ter sido apanhada a beijá-lo. Na verdade Linnet nunca se interessou minimamente pelo príncipe, na verdade nunca sentiu desejo por homem algum, e só namoriscou com ele porque isso a libertava de ter de namoriscar com outros...

É a sua tia que se lembra da solução perfeita: casá-la com o conde Piers Yelverton. Piers é filho único e sofreu um acidente em criança que o deixou coxo e impotente, e o seu pai, o duque de Windebank, aceitaria de braços abertos uma futura nora que lhe garantisse a continuidade da linhagem. Mas para além dos defeitos físicos, Piers tem também um mau feitio lendário o que, tudo em conjunto, lhe garantiu a alcunha de monstro.

Assim, Linnet parte para o País de Gales na companhia do seu futuro sogro, para conhecer o seu futuro marido. Só que Piers não tem qualquer intenção de casar, muito menos com alguém escolhido pelo pai, de quem se encontra afastado e, sendo um médico brilhante, percebe imediatamente que ela não espera criança nenhuma...  Mas é então que algo estranho acontece: Piers resolve alinhar na farsa porque se diverte com a situação e porque, incompreensivelmente, fazer a corte a Linnet parece ser algo que lhe surge naturalmente; e Linnet sente-se, pela primeira vez, atraída por um homem.

Gostei muito do evoluir do romance entre os protagonistas, especialmente do modo como a Linnet nunca se ter importado com o facto do Piers ser coxo, de lhe responder sempre à letra e nunca se deixar abalar pelo seu mau feitio. E gostei muito também do facto de, se por um lado o que primeiro atraiu Piers ter sido a beleza da Linnet, foi só quando ele realmente a começou a conhecer e a admirar as suas qualidades que realmente se apaixonou por ela. Não há cá amor à primeira vista, se bem que no caso dela tenha sido muito próximo disso...

Adorei também o enredo secundário ao romance propriamente dito: o reaproximar dos pais do Piers, a revelação do quanto o seu primo Sébastien era realmente importante para ele, e o funcionar diário do hospital que Piers tem a funcionar numa parte da sua propriedade. E depois há pormenores absolutamente deliciosos como as aulas de natação que o Piers dá à Linnet e o facto da Linnet, que é uma ávida leitora, ter lido todos os romances que havia para ler e ter começado a ler os livros de medicina do Piers (penso que todos nos podemos rever na situação...).

Esta foi mais uma fantástica versão de um conto de fadas que tinha muitas dúvidas se poderia ser tornado credível, mas a autora consegue-o magnificamente. Espero que ela continue a escrever esta série e a dar o seu cunho pessoal a histórias que todos conhecemos.

Classificação: 5

-------------------------------------------------------------------

Este livro conta para os Desafios TBR Pile 2015 e Mount TBR 2015

Sem comentários:

Publicar um comentário