quarta-feira, 11 de junho de 2014

Opinião: "Sedução Perigosa"

www.wook.pt/ficha/seducao-perigosa/a/id/15724215?a_aid=4e767b1d5a5e5&a_bid=b425fcc9
Título original: Something Reckless
Autor: Jess Michaels
Série: Albright Sisters #2
Tradutor: Carmo Vasconcelos Romão
Editor: Quinta Essência
Edição/reimpressão: Maio de 2014
ISBN: 9789897261213
Páginas: 248
Origem: Oferecido pela editora em troca de uma opinião honesta

Sinopse: Depois de testemunhar uma cena chocante e de viver um casamento desastroso, Penelope Norman tornou-se uma voz para aquelas que lutam contra o excesso sensual dos nobres. E Jeremy Vaughn, duque de Kilgrath foi secretamente escolhido para silenciá-la.
O duque acredita que pode seduzir a bela hipócrita e fazê-la parar a sua luta preocupante... ou pelo menos colocá-la em posição de a chantagear. Assim, finge estar do lado dela durante o dia e à noite escreve-lhe cartas eróticas e visita a sua cama para a ensinar nas actividades pecaminosas que ela tanto teme. Mas quanto mais se aproximam, mais Jeremy percebe que a frustrante e tentadora Penelope tem a vantagem em todos os jogos que disputam. Especialmente os do coração.

A minha opinião: Na minha opinião do livro anterior da série referi que mal podia esperar por ler o seguinte, já que a sua protagonista, Penelope, se tinha metido num grande sarilho no final. E a verdade é que, na altura, pensei que a autora a iria livrar do sarilho, mas não. Penelope casou mesmo com o visconde Norman e, obviamente, foi infeliz. Mas, no início de Sedução Perigosa, Penelope é uma jovem viúva, novamente metida num grande sarilho...

Desta feita porque, numa reunião com outras senhoras, Penelope fala apaixonadamente da situação injusta da mulher em relação ao homem, a quem tudo é permitido e aceite, enquanto da mulher se espera um comportamento irrepreensível e que olhe para o lado e não levante ondas. E, inadvertidamente, acaba por se tornar no rosto de um movimento de defesa da moral e dos bons costumes, contra a devassidão e a luxúria dos homens da sociedade.

Claro que estes não acham piada nenhuma à situação, tendo de lidar com a pressão e as represálias das suas mulheres, e um grupo em particular resolve tomar medidas para resolver o assunto. E é assim que Jeremy Vaughn se vê encarregado da missão.

A sua estratégia é simples. Fingir que é um sedutor reformado, que apoia a causa de Penelope e que a quer ajudar na mesma e, desse modo, conquistar a sua confiança, enquanto, ao mesmo tempo, a seduz anonimamente com cartas de teor erótico. E quando a sedução for bem sucedida, ameaçar denunciá-la como hipócrita, caso não abandone a causa.

Mas já se sabe como as coisas funcionam nestas histórias, não é? E se Penelope começa a sentir emoções que nunca antes havia sentido e se entrega livremente à sedução, também Jeremy experiencia emoções até aí desconhecidas e começa a duvidar se será realmente capaz de cumprir o plano até ao fim. Serão eles capazes de encontrar um meio-termo que lhes permita ser felizes?

Gostei bastante desta história e dos protagonistas. A Penelope tem uma espécie de trauma decorrente de ter descoberto como a relação da irmã e do cunhado começou e por os ter apanhado numa situação extremamente comprometedora que a tornou bastante desconfiada em relação ao sexo (e convenhamos que o casamento não ajudou...). Já o Jeremy sempre viveu uma vida de libertino e nunca tinha considerado outro tipo de vida, nem mesmo após o casamento por amor do seu irmão que renunciou completamente aos velhos hábitos, o que fez com que Jeremy se tivesse afastado dele. Mas, devagar, à medida que se conhecem melhor e que se tornam amigos, Penelope começa a perceber que o sexo e a sensualidade são normais e desejáveis numa relação, enquanto Jeremy se apercebe que, quando há amor e intimidade, a relação assume todo um outro nível.

E por falar na Miranda e no Ethan, estes surgem também na história e gostei de ver o quão protector o Ethan é em relação à Penelope, mesmo depois da forma como ela o tratou. E como as irmãs resolvem as suas diferenças e retomam a relação que antes tinham.

Uma história que prende com cenas mesmo muito escaldantes, mas muito bem escritas e com personagens cativantes, que li apenas num dia, algo que nem me consigo lembrar da última vez que fiz... 

Classificação: 4

Sem comentários:

Publicar um comentário