quarta-feira, 28 de abril de 2010

Desabafos...


E não é que depois de ter constatado que a Ellen Olenska afinal devia ser morena (ver post anterior), constato agora que também a personagem Savannah Curtis, desempenhada pela actriz Amanda Seyfried na adaptação cinematográfica do livro Juntos ao Luar, devia ser morena. Será que os filmes com actrizes louras têm melhores resultados de bilheteira ou haverá escassez de actrizes morenas? Não tenho absolutamente nada contra a actriz escolhida e percebo que muitas vezes seja difícil ou mesmo impossível encontrar actores e actrizes que correspondam à descrição das personagens, mas no que toca à cor do cabelo não me parece que seja assim tão complicado. Afinal seria tão simples como pintar o cabelo da actriz...

Enfim, pormenores sem importância certamente, mas que a mim me fazem uma certa confusão...

terça-feira, 27 de abril de 2010

Opinião: "The Age of Innocence"

Autor: Edith Wharton
Colecção: Penguin Popular Classics
Editor: Penguin Books
Edição/reimpressão: 1996
ISBN: 0140622055
Páginas: 384

Sinopse: The return of the beautiful Countess Olenska into the rigidly conventional society of New York sends reverberations throughout the upper reaches of society.


Newland Archer, an eligible young man of the establishment, is about to announce his engagement to May Welland, a pretty ingénue, when May's cousin, Countess Olenska, is introduced into their circle. The Countess brings with her an aura of European
sophistication and a hint of scandal, having left her husband and claimed her independence.

Her sorrowful eyes, her tragic worldliness and her air of unapproachability attract the sensitive Newland. Almost against their will, a passionate bond develops between them. But Archer's life has no place for passion, and, with society on the side of May and all she stands for, he finds himself drawn into a bitter conflict between love and duty.


A minha opinião: A chegada da Condessa Ellen Olenska a Nova Iorque constituiu uma revolução na vida calma e ordeira de Newland Archer. Apesar de cumprir com satisfação todas as regras da sociedade em que se inseria, e com as quais concordava quase instintivamente, Archer não pôde deixar de se comover com a situação em que a Condessa Olenska se encontrava. Tendo abandonado o marido (em circunstâncias suspeitas), Ellen resolveu iniciar uma vida nova para si junto à sua família. Mas o divórcio não era bem visto na altura, acreditava-se que a obrigação da mulher era ficar ao lado do seu marido, independentemente da forma como este a tratava e, por isso, Ellen foi desencorajada pela sua família e também por Archer, a evitar tal situação desagradável. A cumplicidade entre ambos é evidente desde o início, Archer é seduzido pela maneira de ser e de se comportar de Ellen, tão diferente da das raparigas da sociedade nova-iorquina, e Ellen vê em Archer, não só alguém que a compreende, mas também um cavalheiro, um homem de honra e de palavra, como o seu marido nunca foi. Mas o amor entre ambos é um amor condenado à partida, pois não só Ellen é uma mulher casada, como Archer está comprometido com a prima desta, May. A concretização deste amor implica que Archer renuncie a todos os seus princípios, os mesmos princípios que fizeram com que Ellen se apaixonasse por ele...

Adorei a história deste livro. Não só é uma linda história de amor, daquelas que vai ficar para sempre na memória, é também uma crítica à sociedade da época (finais do século XIX), uma sociedade onde se evitava a todo o custo o desagradável. Onde o individual era sacrificado pelo cumprimento das regras da sociedade, o que implicava, muitas vezes, renunciar à felicidade e ao amor devido ao cumprimento de compromissos assumidos.

O final não foi o que idealizei, mas considerando a personalidade de Archer, sei que era o único final possível...



Uma última nota para referir que a adaptação cinematográfica deste livro (que, infelizmente, ainda não consegui ver na totalidade), de Martin Scorsese, me pareceu muito fiel ao mesmo, e fez com que a minha imagem mental dos personagens fosse condicionada à dos actores. Neste caso, nem me importei, pois achei o casting excelente, só tive dificuldade em visualizar a Michelle Pfeiffer como Ellen Olenska, pois o cabelo escuro da personagem é referido com frequência no livro...


Classificação: 5

Apresentação "Conversas de Escritores"

José Rodrigues dos Santos apresentará no próximo dia 1 de Maio, às 17 horas, no Centro Nacional de Cultura (Largo do Picadeiro, 10 – 1º), em Lisboa, o seu mais recente livro CONVERSAS DE ESCRITORES. O lançamento do livro será seguido de uma sessão de autógrafos e a entrada é livre.

Novidades Esfera dos Livros


Histórias Rocambolescas da História de Portugal
Colecção: História Divulgativa
P.V.P: 23 €
ISBN: 978-989-626-216-7
Páginas: 336 + 24 extratextos
Formato: 16 X 23,5 / Brochado c/ sobrecapa
Data de lançamento:
Abril

Milagres que nunca existiram, um filho que bate na mãe, um irmão que bate noutro irmão, execuções e assassinatos num país de brandos costumes, heróis que afinal não foram assim tão bonzinhos, reis loucos num país de loucuras, aliados piores que o pior dos inimigos, batalhas vitoriosas com uma mãozinha divina ou grandes desastres militares, traições e conspirações de vão de escada, um rei com gosto por freiras, outro impotente que não conseguia satisfazer a mulher, um governo que nem cinco minutos durou, um atentado onde tudo correu mal e o visado saiu ileso, um ditador temível que resistiu 40 anos no poder até cair de uma cadeira de lona... Podem parecer-lhe históricas anedóticas, falsas, absolutamente surreais. Muitas delas nunca nos foram contadas na escola. Mas fique a saber que são quadros bem reais e fazem parte dos nove séculos da História de Portugal. Sabia por exemplo que nunca houve uma escola náutica em Sagres, que frei Miguel Contreiras nunca existiu? Que D. Pedro, além de D. Inês, amou também o seu escudeiro? Que a morte dos Távora envolve sexo, mentiras e política? Sabia que Vasco da Gama, herói das Descobertas, era temido por ser um homem cruel? Que Palma Inácio foi o primeiro pirata do ar?

Histórias dos Papas
Colecção: Religião
P.V.P: 35 €
ISBN: 978-989-626-213-6
Páginas: +/- 547 + 32 extratextos a cores  
Formato: 16 X 23,5 / Cartonado
Data de lançamento: Abril

Uma narrativa de grandeza, de religiosidade e de pecado. Em História dos Papas, Juan María Laboa Gallego, traça o retrato de 267 papas que ocuparam a cadeira de São Pedro, discípulos directos que herdaram os poderes de Jesus Cristo e mantêm, há vinte séculos, a autoridade sobre a Igreja Católica. Pela cidade de Roma passaram homens santos como Leão I, o Grande, que enfrentou Átila, e reformadores como Gregório VII, grande defensor da Igreja face ao poder laico, guerreiros como Urbano II, que convocou a primeira cruzada, mecenas de arte como Júlio II, a quem se deve a decoração da Capela Sistina. Mas também se sentaram na cadeira do poder papas considerados hereges como João XXII, Alexandre VI, que favorecia de forma escandalosa a sua família, Pio VII, prisioneiro de Napoleão, ou João Paulo I, que apareceu morto na sua cama depois de trinta e três dias de pontificado. Uma crónica completa que conta a história de João XXI, o único papa português que morreu esmagado por um tecto, para uns castigo divino pela sua falta de apreço pelos religiosos dominicanos.

Cativa na Arábia
Cristina Morató
Colecção: História Divulgativa
P.V.P: 24 €
ISBN: 978-989-626-221-1
Páginas: 360 + 44 extratextos
Formato: 16 X 23,5 / Brochado
Data de lançamento: Abril
A vida da condessa Marga d’Andurain é um autêntico livro de aventuras. Drama, aventura, intriga, acção, exotismo são alguns dos ingredientes de Cativa na Arábia. Nascida no seio de uma família da burguesia basca francesa, foi uma mulher à frente do seu tempo. Rebelde, transgressora e apaixonada, viajou da sua Baiona natal até cidades lendárias como o Cairo, Beirute, Damasco ou Tânger, onde protagonizou façanhas incríveis que lhe valeram títulos como «A Mata Hari do deserto», «A Condessa dos vinte crimes» ou «A amante de Lawrence da Arábia». Marga d’Andurain espiou para os britânicos, dirigiu juntamente com o marido um hotel no deserto sírio e propôs-se ser a primeira ocidental a entrar em Meca. Para isso, já divorciada, casou-se com um beduíno e converteu-se ao Islão. A sua viagem ao coração da Arábia foi um autêntico pesadelo, ao ser fechada num harém e mais tarde encarcerada na terrível prisão de Yidda. Ao abandonar o Próximo Oriente, dedicou-se ao tráfico de ópio em Paris, ocupada pelos nazis, acabando por ser assassinada em Tânger. Mas quem era na realidade esta mulher? Uma perigosa espia, uma assassina ou apenas uma audaciosa viajante?

Guerra é Guerra
Major Miguel Costa Barreto
Colecção: Fora de Colecção
P.V.P: 17 €
ISBN: 978-989-626-214-3
Páginas: 264 + 16 extratextos a cores
Formato: 16 X 23,5 / Brochado
Data de lançamento: Abril
A 12 de Novembro de 2003 o sub-agrupamento alfa da GNR parte para a guerra do Iraque, onde, um dia antes, o quartel-general das forças italianas em Nassíria, destino dos militares portugueses, tinha sido alvo de um ataque terrorista que vitimou 24 militares italianos. Num relato original e inovador, o major Miguel Costa Barreto, 2.º comandante do contingente português no Iraque, descreve a missão portuguesa no cenário de guerra iraquiano. As perseguições a carros-bomba e a elementos terroristas, as saídas em patrulha para evitar situações de confronto iminentes, a ajuda humanitária prestada à população, os constantes ataques terroristas às bases militares das forças da coligação, o apoio à jornalista Maria João Ruela, baleada em pleno deserto iraquiano, e aos restantes elementos dos media portugueses. Pelo meio episódios caricatos do dia-a-dia de uma guerra violenta e cruel que exigia um estado de alerta 24 sobre 24 horas: o médico civil português que dormia com o colete à prova-de-bala por receio dos atentados ou um Burguer King montado no meio do deserto pelo exército americano.
A coragem, o medo, a ansiedade, as saudades da família, o espírito de camaradagem povoam esta obra que, pela primeira vez, dá a conhecer, num registo pessoal e directo, uma missão militar portuguesa no mais perigoso e mediático cenário de guerra da actualidade.

Dormir Tranquilo
Mário Cordeiro
Colecção: Manuais e Guias
P.V.P: 16 €
ISBN: 978-989-626-215-0
Páginas: 216
Formato: 15 X 23,5 / Brochado
Data de lançamento: Abril

O seu filho não quer dormir sozinho? O seu bebé só adormece ao colo e mal o deita ele acorda e exige mais colo? Os seus filhos querem dormir na sua cama? Não percebe porque é que ele chora horas a fio? A sua filha acorda de madrugada e não volta a adormecer? O seu filho tem sonhos maus, acorda a chorar e a chamar por si? Estes são alguns dos problemas com que se confrontam os pais, cansados de noites e noites mal dormidas.
- O seu bebé precisa de se sentir seguro para dormir.
- Estabeleça rotinas para que a hora de dormir seja mais calma e tenha uma maior probabilidade de sucesso.
- Se a criança chorar, deve ir ter com ela com o mínimo de rebuliço, de luz e de estímulos tácteis.
- Se a criança quiser colo, experimente sentar-se ao lado da cama dela e numa voz baixa e monocórdica repita frases como «bebé ó-ó».
- Crie um ambiente seguro e tranquilo para a criança se sentir bem no seu quarto.
Não há soluções mágicas, nem normas rígidas, até porque os bebés não são todos iguais e os pais não devem cair em desespero ou em alarmismos. Mas se não é possível obrigar um bebé a dormir, muito se pode fazer para o ajudar a dormir tranquilo... ele e os pais!



sexta-feira, 23 de abril de 2010

Dia Mundial do Livro


Um feliz dia do livro a todos os que, sem ele, já não conseguem viver...

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Momentos Wook: Portes Grátis e Oferta de Livro Infantil



Condições da Campanha:
  • Campanha válida de 21 a 23 de Abril de 2010;
  • Em encomendas de livros não escolares de valor superior a 15€;
  • Portes grátis em CTT Expresso Clássico para Portugal continental e em Correio Normal para as regiões autónomas dos Açores e da Madeira (encomendas até 10Kg);
  • Oferta de livro infantil limitada ao stock existente.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Promoção Wooklet da semana


Nunca li nada da autora, mas parece-me uma excelente promoção.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Sessão de Lançamento "5 de Outubro - Uma Reconstituição"

A obra 5 de Outubro - Uma Reconstituição de Ernesto Rodrigues, será apresentada por José Manuel Mendes e António Manuel, no dia 20 de Abril de 2010, pelas 18h30, na Biblioteca-Museu República e Resistência, na Rua Alberto de Sousa, n.º 10 A, Zona B do Rêgo, em Lisboa.

Seguir-se-á uma sessão de autógrafos.

sábado, 17 de abril de 2010

Novidades Saída de Emergência

Sangue Furtivo

A série que mantém 8 livros entre os 15 mais vendidos dos EUA

O Mago - Aprendiz

Não perca a obra-prima da fantasia. Um mundo genial, intriga política, e o nascimento de personagens inesquecíveis.

Mediterrâneo

Um Personagem que conquistou os cinemas com Mathew Mcconaughey na pele de Dirk Pitt e outras estrelas como Penélope Cruz no filme Sahara.

Flashman - A Odisseia de um Cobarde

Um tremendo romance histórico, ponteado com humor fino e contundente.

Helena de Tróia

Da mesma autora de A Paixão de Maria Madalena (25 mil livros vendidos) e As Memórias de Cleópatra (10 mil livros vendidos)

Cerimónia Mortal

Nora Roberts está de volta com um novo policial (sob o pseudónimo de J.D. Robb)

Sessão de Lançamento "A Cirurgia do Prazer"

A Esfera do Caos Editores e o autor Miguel Almeida, têm o prazer de
 a/o convidar para as sessões de lançamento do livro A Cirurgia do 
Prazer - Contos morais e sexuais que será apresentado por José Cunha e 
Pedro Maia

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Apresentação "A Importância de Ser Electrão"

A obra A IMPORTÂNCIA DE SER ELECTRÃO - O átomo e as suas ligações: um olhar sobre a evolução da química de José Lopes da Silva e Palmira Ferreira da Silva, será apresentada por Baltazar Romão de Castro e Mário Barbosa, no dia 15 de Abril de 2010, às 21h15, na Quinta de Bonjóia, Rua de Bonjóia, 185, no Porto.
 

Uma iniciativa da Câmara Municipal do Porto, Fundação Porto Social e Gradiva.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Maratona literária: a experiência


Como prometido, deixo aqui as minhas impressões sobre a maratona literária de sábado. Como apenas participei durante meia hora e estive fora de casa (e longe do computador) praticamente todo o dia, a minha participação acabou por ser muito limitada e por isso acabei por não desfrutar convenientemente da experiência.

Basicamente os participantes juntavam-se online e trocavam as diversas experiências de leitura: o que tinham lido, onde, com quem, enfim tudo o que se relacionasse com a leitura efectuada. Sim, não é nada de especial e podia ser feito todos os dias, mas há um certo encanto em ter um dia (e uma hora) especialmente dedicado à leitura e saber que por todo o mundo essa experiência está a ser partilhada por mais pessoas...

Posso, então, dizer que o balanço foi positivo e espero poder participar mais activamente nas próximas iniciativas.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Novidades Gradiva


Os Livros de Abril 2010 
(disponíveis a 22 de Abril)

Conversas de Escritores
Nomes conhecidos das letras entrevistados por um jornalista que também é romancista. Oportunidade para descobrir facetas menos comuns de escritores consagrados, no tom intimista e cúmplice que se adopta entre companheiros de ofício. Diálogos com Ian McEwan, Günter Grass, Isabel Allende, Dan Brown, Sveva Casati Modignani, Luís Sepúlveda, Jeffrey Archer, Paulo Coelho, Miguel Sousa Tavares e José Saramago.
«Fora de colecção», nº 329, 256 pp., €15,00

Simon Singh
Big Bang - A descoberta científica mais importante de todos os tempos e porque precisa de a conhecer
Todos ouvimos já falar da teoria do Big Bang, mas saberemos realmente do que se trata? Porque estão convencidos os cosmólogos de que o Big Bang é a descrição da origem do universo? Simon Singh explica a ideia provavelmente mais importante da história da ciência como até hoje não fora tão compreensivelmente explicada. Numa narrativa recheada de episódios curiosos, conta-nos a assombrosa história do início do cosmos.
«Ciência Aberta», nº 183, 584 pp., €26,00

Leia — A Maldição do Tesouro da Mina
No início do jogo, havia um só programador e o jogo não estava na rede. Nessa altura, a imaginação não ditava as coordenadas. Por isso, o primeiro programador criou fechaduras aparentemente invioláveis, onde só cabiam as chaves da verdade. Também há muito tempo, numa época em que as regras estavam ainda por escrever, foi lançada a maldição do tesouro da mina. Leia entra no jogo para quebrar a maldição... e percebe que os dados talvez estejam viciados. Uma aventura empolgante, onde as peripécias se sucedem ao ritmo dos jogos electrónicos.
«Gradiva Júnior», nº 121, 172 pp., €9,00

Anthony Kenny
Nova História da Filosofia Ocidental, vol. I
Filosofia Antiga
O primeiro volume de uma obra magistral que faz reviver a história da filosofia – a Nova História da Filosofia Ocidental – permite compreender as raízes da civilização ocidental. Acontecimento editorial ansiosamente aguardado, na linha das grandes publicações Gradiva, Filosofia Antiga conta a história do nascimento da filosofia, do seu florescimento no mundo mediterrânico antigo e do desenvolvimento das ideias que determinaram o rumo do pensamento e da sociedade ocidentais.
«Fora de Colecção», nº 331, 360 pp., €27,00

Inquietação Interminável
Ensaios sobre Ética das Ciências da Vida
Uma selecção de textos sobre ética, de leitura tão relevante quanto oportuna. Um autor que é uma referência no tema e uma personalidade maior na cultura e na sociedade portuguesas.
«Fora de Colecção», nº 330, 248 pp., €16,00

Maratona Literária

Através do site librarything tive conhecimento da maratona literária que se irá realizar amanhã e para a qual já me inscrevi. A ideia é muito gira, e consiste em, durante 24 horas, existir sempre alguém, algures no mundo, a ler. É claro que são muito poucos os que conseguem/podem ler durante um dia inteiro portanto, na prática, os interessados inscrevem-se e escolhem qual o horário em que irão ler, de forma a que todas as horas estejam cobertas por uma ou mais pessoas. Ao longo de todo o dia, os leitores juntam-se online e discutem a experiência. 

Infelizmente o sábado não é um bom dia para mim, pelo que apenas pude inscrever-me para ler durante meia hora. Provavelmente conseguirei ler mais tempo, mas pelo menos aquela meia hora sei que conseguirei cumprir...

Mais informações aqui e inscrições aqui.

Depois contarei como foi a experiência.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Bom fim de semana!

 

E se for prolongado como o meu, melhor! 
E espero que esta seja a única chuva do fim de semana...